17 novembro 2012

DOCE PRESENÇA

Milton S. Hershey nasceu em 13 de setembro de 1857, na zona rural da Pensilvânia. Seu pai era um sonhador, mas não tinha perseverança, quando o projeto em que estava trabalhando falia, mudava-se de cidade e começava um outro negócio. As viagens constantes prejudicaram os estudos do garoto, que abandonou a......escola sem concluir o ensino fundamental. Sua mãe, no entanto, lhe influenciou positivamente, ensinando ao único filho a importância de ser dizimista fiel, obedecer a Deus e perseverar.
Após trabalhar como empregado, Milton decidiu tornar-se empresário, investindo em uma fábrica de caramelos. O negócio faliu, mas ele tentou novamente. A empresa quebrou mais uma vez. Sem dinheiro e credibilidade, ele não se abateu. Lembrou-se do que aprendera com sua mãe e insistiu em seu sonho. Desta vez, conseguiu bons contratos e prosperou. Em uma visita à World's Columbian Exposition de 1893, deparou-se com uma máquina alemã de fazer chocolates. Ficou fascinado. Decidiu comprá-la e fazer coberturas de chocolate em seus caramelos.
Com o sucesso, Milton teve a ideia de fabricar barras de chocolate ao leite. Mas havia um pequeno problema: ninguém sabia como fazer isso. Naquela época, era um produto de luxo, caríssimo, feito na suíça, cuja fórmula era mantida em segredo. Hershey não se abalou, estava determinado a desenvolver uma fórmula para popularizar essa iguaria. Foi visto como louco, mas sua determinação fez com que o sucesso fosse inevitável. Sem seus esforços (feitos pelo método de tentativa e erro), eu e você provavelmente nunca teríamos provado essa maravilha.
Milton vendeu sua fábrica de caramelos e construiu a fábrica de chocolates Hershey’s, na cidade em que nasceu, cercada de fazendas de leite. Quando se casou, teve em sua esposa Catherine (Kitty) uma grande companheira de viagens, sonhos e projetos. Não tiveram filhos, mas Kitty teve a ideia de fazer uma escola para órfãos, e assim, proporcionar um futuro àqueles que não tinham pais. Como ele mesmo não concluíra seus estudos, abraçou a ideia com entusiasmo.
Ao contrário da maioria dos empresários da época, Milton entendeu que empregados com boa qualidade de vida produziriam melhor. Construiu para eles uma cidade completa: com banco, lojas, casas, escolas, parque e até zoológico! Com a morte de Kitty, Hershey resolveu doar sua fortuna para os projetos filantrópicos que fizeram juntos, e continuou a colocar em prática os sonhos que tinham, de dar uma oportunidade aos menos favorecidos.
Durante a crise mundial chamada de Grande Depressão, Hershey conseguiu prosperar e não apenas evitou demissões como também contratou novos funcionários e aumentou a autoestima dos que já trabalhavam com ele. Ficou conhecido por colocar a qualidade dos produtos e bem estar dos funcionários à frente dos lucros e tornou-se o maior fabricante de chocolates do mundo. Hoje, a empresa é controlada pela Fundação Hershey e sustenta a escola, que cresceu e oferece educação gratuita, capacitação profissional, habitação, vestuário, sustento, saúde e aconselhamento para mais de 1.100 meninos e meninas. A Hershey Town continua a receber turistas e Milton é visto até hoje como um gênio, exemplo de perseverança, honestidade e ética, com um profundo amor pela humanidade.
Uma curiosidade: Durante uma de suas viagens pela Europa, Hershey comprou uma passagem para a viagem inaugural de um imponente navio para os Estados Unidos. No entanto, em abril de 1912, na época do embarque, Kitty ficou doente, e Milton cancelou a passagem. O navio era o Titanic, e Hershey se salvou de uma das maiores tragédias do início do século XX. Visto como um homem de sorte, Hershey sabia que o que ele tinha era a proteção de Deus, por causa de sua fidelidade.
Vanessa Lampert
Fonte: Blog do Bispo Macedo

Nenhum comentário:

Postar um comentário